19/05/2015

Fala aí, Amanda: Transição Capilar e Big Chop - Minha Experiência




  
O QUE É
 
A transição não é nada mais do que o abandono das químicas para se chegar ao cabelo natural. Pode demorar alguns meses ou até mais de um ano. É um período delicado, que requer muita paciência, cortes  para a retirada das pontas que ainda possuem químicas e muita hidratação. Algumas pessoas, fazem o BC (big chop) que, em inglês, significa, literalmente, grande corte, onde se tira toda a química. Aos 8 meses de transição fiz o BC, depois de adquirir muita coragem e um longo tempo de amadurecimento das minhas ideias. Eu vinha tentando a transição desde 2011, mas tive várias recaídas por achar feio o cabelo com duas texturas, até que em março deste ano tomei a iniciativa e confesso que foi a coisa mais legal  que já fiz por mim mesma.
Antes da Transição Capilar


Durante a Transição Capilar
 

BIG CHOP

  
POR QUE EU FIZ?
Primeiramente por questões de identidade, cresci ouvindo que cabelo crespo e volumoso era feio, que pra ser socialmente aceita eu precisava ter um cabelo “domado”, e como as mulheres da minha família possuem  cabelos com texturas diferentes do meu, decidiram relaxar meu cabelo quando eu ainda tinha 6 anos de idade e até os meus 19 anos eu recorri a relaxamentos e progressivas. O mais importante a dizer aqui, é que eu não pensava por mim mesma, não era eu quem queria relaxar ou alisar, eu tratava meu cabelo em função de um padrão e com medo de não ser aceita.  Em segundo lugar, eu gosto da praticidade do cabelo natural (lavou, tá pronto! rs ) e não ter que ficar presa em ter que escovar e pranchar, pois as químicas deixavam meu cabelo com um aspecto “espigado” então sempre precisava da prancha e acabava ficando mais estragado.


COMO EU FIZ?
 
Nos primeiros meses, eu conseguia ainda fazer escova e prancha, mas ao longo do tempo a raiz não ficava legal e então comecei a deixá-lo preso com coques e rabo de cavalo. Confesso que não foi fácil, principalmente quando eu queria ir a alguma festa, nestes casos eu recorria à texturização com cremes  ativadores de cachos e sempre hidratava. Também fiz uso do shampoo com Monovin-A (o Monovin-A é um medicamento injetável de uso veterinário, vitamina A super concentrada comumente usada para animais de grande porte como  por exemplo,cavalos), o famoso shampoo bomba, durante três meses, mas eu não recomendo que ninguém o utilize, pois não notei grandes resultados e o uso de vitaminas muito concentradas pode trazer vários malefícios à saúde.
MINHA DICA PRA QUEM ESTÁ EM TRANSIÇÃO:
Tenha paciência (muita mesmo!), invista em acessórios e curta cada momento, cada vitória, cada corte das pontas com química, aproveite pra ler mais sobre o assunto, se informe e se aceite! Lembre que a sua história, sua identidade, sua auto estima valem muito mais do que críticas e padrões.
Procure grupos de transição nas redes sociais que você segue: Normalmente as pessoas colocam dicas e ajudam umas as outras.
Siga um cronograma capilar. Eu sigo o cronograma capilar e faço o low poo( uma técnica em que se usa pouco shampoo e silicones insolúveis) mas isso é assunto pra outro post!
Enfim, quero dizer que a transição funcionou pra mim e hoje me sinto mais feliz e bonita com meu cabelo natural  mas  não quero fazer uma apologia anti-alisamento e anti-chapinha.Nossas vontades e ideias mudam o tempo inteiro e mudar é bom! O importante é que você se sinta bonita e tenha prazer em ser quem você é.
3 meses após o BIG CHOP
 
 
 
 
E aí? você já passou por alguma mudança radical nos cabelos ou algo que precisou de muita paciência? Quero saber a sua opinião.
 
 

 



  

5 comentários:

  1. Ahhh, achei lindo seu texto! De certa forma, considero que fiz um Big Chop. Aos 15 anos fiz uma progressiva muito forte, meu cabelo ficou um horror, muito liso, igual cabelo de boneca. Esperei crescer até o ombro e cortei toda a parte com química!!! Meu cabelo é cacheado, mas mantenho sempre com escova e gosto da liberdade de poder escolher como ele vai ficar, variar. Não uso mais químicas no cabelo! Beijo

    ResponderExcluir
  2. Você disse tudo Amanda, primeiro nós devemos amadurecer a ideia de ser cacheada ou crespa e aceitar isso, que um dia a vontade bate como no meu caso e cortamos o cabelo e sentimos a liberdade! Uma coisa que a química em geral não proporciona para nós, amei conhecer a sua história isso sempre me motiva a continuar e vê que tudo valeu a pena. Cacheadas e Crespas com orgulho 💇🏾💚

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí Lets! Em primeiro lugar nossa auto-estima,nossa história! Fica firme aí! Qualquer coisa eu tô aqui pra ajudar! Beijos

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir